Sexta-feira, 30 de Março de 2007

Uma História em Macieira (Concelho de Sertã), com uma memória

Noite de Verão, arraial ao ar livre.

 

A banda estava a executar as habituais modinhas de verão. Nessa época (princípio dos anos 90), a música não era "pimba", era "pirosa"...

 

A propósito disso, se este pessoal tivesse um pouco de atenção a certos "air-plays" das rádios, teria de perdoar muitos músicos portugueses catalogados de "pimbas"... e por aqui me fico...

 

Mas voltemos ao nosso arraial...

 

Dizia eu que a Banda estava a executar as habituais modinhas de verão...

 

(mais uma interrupção para explicar que o recinto de festas da Macieira tinha - pelo menos nessa altura, agora não sei, porque nunca mais voltei lá... - um redondel específico, com o piso devidamente alisado para permitir que os dançarinos executassem os seus passos sem correrem o risco de tropeçar nalguma pedra )

 

A restante sonorização do arraial estava a cargo de um tipo chamado "Salamanca", residente no Sardoal. Não sei se era nome, se era alcunha. Só sei que... bom. é melhor contar-vos...

 

Nos intervalos de série, é frequente as Comissões de Festas realizarem leilões, cujas receitas se destinam a cobrir as despesas que a organização deste tipo de eventos acarreta.

 

Na Macieira, os leilões foram assegurados pelo "Salamanca", que tinha um estilo ... hmmm... aaaa... pouco ortodoxo nas arrematações... as quais caracterizava sempre por um sonoro "aííííí, seus cab**********ões!!!!!"

 

Assim era o "Salamanca" e as pessoas nunca o levavam a mal...

 

Pois nessa noite, estava a Banda a executar as habituais modinhas de verão (onde é que eu já li isto?...), e o pessoal todo divertido a dançar no tal redondel, quando subitamente, surgido de uma esquina, apareceu o "Salamanca" a conduzir uma motorizada em grande velocidade, entrando de rompante no redondel e provocando o pânico nos dançarinos, fazendo-os fugir que nem baratas tontas à sua frente.

 

(Eu estou a escrever isto e a rir-me baixinho ao recordar a cena...)

 

Depois dessa diabrura, o "Salamanca" saiu disparado do redondel e as pessoas, entre gargalhadas, voltaram à dança.

 

Assim era o "Salamanca" e as pessoas nunca o levavam a mal...

 

Lá para o final da actuação - quando apenas estão meia dúzia de "gatos pingados" resistentes... e ....aaaa... etilizados q.b., eis que entra de novo o "Salamanca" em acção.

 

Desta vez, a "vítima" era um bêbado que estava a apreciar o conjunto (será que estava?...) no meio do redondel.

 

O "Salamanca" agarrou-se ao bebâdo e fê-lo voltear ao som da música, ao ponto de o desgraçado mal tocar com os pés no chão...

 

Assim era o "Salamanca" e as pessoas nunca o levavam a mal...

 

A notícia da sua morte tomou-me de surpresa. Tanto quanto sei, o "Salamanca" morreu electrocutado quando procedia a uma instalação eléctrica.

 

Calculo que, desta vez, as pessoas o tenham levado a mal, por ele se ir embora tão cedo...

 

 

Visitante

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sinto-me:
Música: "Festa" (Lara Li)

Publicado por Visitante às 08:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
5 comentários:
De Teresa a 31 de Março de 2007 às 20:29
è incrivel como acontece sempre alguma coisa, menos favoravel no meio de uma actuação...

Obrigada por partilhares isso com os leitores...
Desejo-te uma boa continuação de fim-d-semana


De Anónimo a 15 de Outubro de 2009 às 22:05
olá... eu sou de lisboa, mas a minha terra é essa mesmo, e esse arraial. esta um pouco diferente... foi triste ter partido cedo... Para que possa partilhar ctg... quem faz agora os leilões ´´e a mesma o salamanca... o filho.... penso que não gostas te da festa para reagires assim... bem felicidades...


De Visitante a 21 de Outubro de 2009 às 08:59
Olá

Pelo contrário, diverti-me bastante nessa festa, à conta das tropelias do falecido Salamanca.

Durante a minha vida de músico de baile, percorri milhares e milhares de quilómetros por esse Portugal fora.

Sempre me diverti enquanto tocava. Aliás, estas crónicas são um pequeno exemplo.

Cumprimentos
Visitante

P.S.: Peço-te só um favor: no futuro põe uma identificação (basta um "nick").




De M.Salta a 23 de Abril de 2011 às 21:37
Ele não fazia só isso,ele rebentava foguetes debaixo das botas até ficar praticamento descalço com as botas arrebentadas etç. M.Salta Lisboa


De Henrique Farinha a 3 de Novembro de 2016 às 20:03
Grande Salamanca, lembro perfeitamente mas ainda era puto (cachopo) quando ele faleceu.
Ainda sou do tempo que o arraial onde os artistas actuavam era feito de paus e folhagem de eucalipto.

grande abraco.



Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

Uma história em Catraia d...

Uma História em Inguias (...

Uma História em Serreira ...

Uma história em Fundada (...

Uma História em Murteira ...

Uma História em Fonte Boa...

Uma história nos Foros de...

Uma História entre Setúba...

Uma História em Terena (C...

Uma História (em várias v...

Arquivos

Março 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Janeiro 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Já assistiram ao espectáculo:

Web Hit Counter
Instant Cash Advance

Número de Espectadores Presentes:

online
SAPO Blogs

subscrever feeds